top of page
Search

Power Rankings: tudo a postos para o baile



1



A primeira posição só podia estar entregue aos vencedores do primeiro troféu da temporada. Os Phoenix Suns venceram a ChampCup com exibições sólidas e com a demonstração clara que Giannis Antetokounmpo será uma das maiores forças da liga. Vamos ver como lida João Leitão com a "pressão" acrescida.

2



Foram das equipas mais consistentes durante os jogos amigáveis. Entre o poder defensivo e o poder ofensivo, Guilherme Silva tem razões para acreditar numa temporada repleta de sucessos. Caíram, por 2 pontos, nos quartos-de-final da ChampCup, mas Kawhi Leonard liderou a equipa de uma forma avassaladora.

3



Não é, provavelmente, a equipa com mais talento "puro" no roster. Mas há Kevin Durant e uma companhia muito "cascuda" ao seu redor que, aliada à competência já conhecida de Pedro Pardal, prometem fazer muitas coisas boas durante a época. Na ChampCup ficou clara a importância das "segundas linhas".

4



Quem é que ainda não conhece a identidade habitual das equipas de Pedro Lança? Só os distraídos. Os Bulls estão com uma roupagem jovem, não estão - ainda - em modo "win now". Mesmo assim, foi suficiente para serem uma das melhores equipas durante os amigáveis. Wemby é, por antecipação, o mais que provável rookie do ano.

5



A surpresa do torneio inicial foram os Washington Wizards. Pedro Gaifem - o homem do analytics - fez um trabalho incrível ao compor tacticamente a equipa mediante o adversário que tinha pela frente. Finalistas vencidos, têm agora uma desafio maior: manter a expectativa que foi criada. Se depender de Fox, parece estar tudo bem...

6




Money, money, money, money!! Muito criticados pelas opções durante o fantasy draft que iniciou os trabahos da liga, Sérgio Marques e os Miami Heat já começaram a provar que sabiam o que estavam a fazer. Não há muitas equipas com o talento que estes Miami têm, em modo "win now". Será que Lebron, Randle e Lavine serão suficientes?

7



Fecharam o grupo da ChampCup com 4-2, mas com boas exibições no geral. A equipa de Jorge Ferreira está oleada, apesar de faltarem ainda mais contribuições consistentes que possam ajudar os sempre "certos" Donovan Mitchell e Kristaps Porzingis. A conferência Este vai ser muito competitiva.

8



Oitavo lugar, mas a segunda equipa da comferência Oeste a aparecer neste ranking. Os Blazers são liderados por um dos melhores GM's da nossa praça e também por um Anthony Davis que já mostrou que vai ser os melhores jogadores da liga. A dúvida que fica é se o supporting cast será suficiente.

9



Ficou a ideia durante a ChampCup que poderiam ter chegado mais longe. Mas em termos mais concretos, como ponte forte saltou à vista a capacidade defensiva para parar alguns dos adversários mais fortes. Nicolas Lima ainda tem espaço para afinar algumas tácticas e estratégias, mas as prespetivas são boas.

10



Surpreenderam durante a fase de grupos da ChampCup. Arriscamos dizer que foram mesmo uma das equipas que melhor basket praticaram. Caíram de forma surpreendente nos oitavos de final, mas não retira o mérito - e a responsabilidade - a Tiago Moreira. A liga tem os Pacers no radar.

11


Renato Mendes conseguiu colocar esta equipa a jogar um excelente basket durante a maioria dos jogos do torneio inicial. O que preocupa é, ironicamente, aquilo que também é a principal força do roster: Joel Embiid. A excessiva dependência da superestrela pode ser problemática a longo prazo.

12



Neste lado de Los Angeles mora a dupla "Paul e Paolo" que tantos estragos fez nos jogos amigáveis. Banchero surpreendeu e deliciou o GM Bruno Santiago. O que serão capazes os Clippers ainda não sabemos, mas o roster está bem construído e, dentro do campo, as indicações foram simpáticas.

13



Sabonis foi, provavelmente, se excluirmos as estrelas mais óbvias, o jogador que em termos individuais consegui impor o seu domínio. Nas tabelas, mas também no jogo exterior, foi decisivo para que a equipa de Lizardo conseguisse algumas vitórias importantes. Mas será que a rotação é suficiente para voos mais altos? Resta esperar para ver.

14



Quando olhamos para este roster saltam à vista nomes como Anthony Edwards, Lauri Markkanen e Klay Thompson. Ainda falta que o GM, João Santos, consiga extrair todo o potencial que está à sua frente. Confiança dos adeptos já tem e os primeiros jogos da regular season serão importantes para manter o tom.

15



Tyrese Maxey e Bam Adebayo foram uma dupla "à antiga", onde as dinâmicas base-poste são bem exploradas para criar um fluxo de jogo difícil de defender. Mas faltam, provavelmente opções para que o GM Hugo Rebelo possa sonhar por mais. Talvez aqui estejam oportunidades de mercado para explorar.

16



Todos ficamos com a sensação de que estes Bucks valem mais do que a sua não passagem do grupo na ChampCup. Ricardo Rodrigues teve alguns contratempos em encontrar uma táctica consistente, mas talento e qualidade - tanto no roster, como na equipa técnica - não faltam. Vamos acompanhar com interesse!

17



Sim, é verdade... os jogos amigáveis foram um desastre. Mas também sabemos que esse "desastre" surpreendeu toda a liga porque é indiscutível o potencial do roster e a competência do GM Filipe Alves. A questão é saber se Curry e Harden serão compatíveis em campo. Se não forem, o valor de mercado ninguém consegue retirar-lhes.

18



Chegaram a ser destaque nas primeiras rondas do fantasy draft pelas boas escolhas, aliadas à poupança. Mas depressa o entusiasmo se desvaneceu. Francisco Henriques tem ao seu comando uma equipa interessante, mas onde o potencial ainda supera a capacidade de ganhar jogos no imediato.

19



São a equipa que passou da fase de grupos, mas que se encontra numa posição mais "frágil" nestes power rankings. Isso deve-se vários fatores: à qualidade do roster, que não parece suficiente para entrar em modo "win now", e também alguma instabilidade táctica do GM João Tempera que está em risco, por ter sido o único a não responder à roll call.

20



O talento da equipa de Utah não é conivente com esta posição. Mas não podemos fechar os olhos a uma ChampCup irregular. Nuno Santos terá o desafio pela frente de colocar harmonia na dinâmica entre Jalen Brunson, Zion Williamson e Kyle Kuzma.

21



Os Raptors partilham com os Denver duas questões incontornáveis: 1) desiludiram na ChampCup 2) são das equipas com mais talento da liga. Há uma expectativa grande que a equipa do Canadá conseguida dar um "pontapé" nos maus resultados e fazer render todo o seu potencial muito em breve.

22



A equipa "mais cascuda" do ChampNBA mora na 22ª posição. Mário Pelicano parece ter expectativas bem maiores do que poderá cumprir, mas ainda assim não podemos negar que o roster tem talento suficiente para lutar pelos playoffs (ou play-in). Jimmy Butler é o capitão da orquestra - ainda - desafinada.

23



É verdade que quando analisamos a equipa liderada por Tiago António, vislumbramos muitas fragilidades. Mas não podemos ignorar que os Spurs venceram três jogos no grupo e conseguiram praticar um basket aceitável. Jaylen Brown é a figura destacada.

24



A equipa de Duarte Gomes ainda não acordou!!! No entanto, é expectável Damian Lillard e Myles Turner consigam dar um passo à frente para começar a colecionar vitórias. Claro que está à vista que a conferência Este será ultracompetitiva, mas também já sabemos que esta composição de roster "old school" costuma dar bons resultados.

25



Os Lakers foram "vítimas" de uma certa ausência de Mauro Rodrigues que não valorizou a ChampCup como outros GMs o fizeram. Ainda assim, Trae Young terá capacidade de liderar os seus companheiros a voos um pouco mais altos, ainda que será difícil acreditar que, sem trocas, a ambição possa ser grante.

26



Rui Louro ficou desiludido com as cinco derrotas que sofreram durante o torneio. E não é para menos. Todos esperávamos mais de uma equipa que até consegue aliar uma certa experiência com vários talentos com projeçao para um futuro mais risonho. No lado Este da liga, os Pistons não são favoritos.

27



Foram a única equipa que nunca colocaram sequer a sua maior estrela - Shai Gilgeous-Alexander - para jogar na ChampCup. Talvez a estratégia de Tiago Cousso seja, precisamente, "esconder o jogo" e o verdadeiro potencial da equipa. Apesar de alguma fragilidade, a rotação parece ter ficado oleada.

28



Tomé Brito é mais um dos GM's que já entrou a "meio" e recebe uma herança pesada. Mas há boas notícias para trabalhar: Nikola Jokic. Uma equipa tem tem este atleta das fileiras nunca terá nenhum jogo que não poderá ganhar. Agora resta, provavelmente, explorar o mercado para conseguir mais opções.

29



Foi só no último jogo do grupo que Francisco Carvalho conheceu o doce sabor da vitória. Mas há potencial para mais! É uma questão de encaixe com os adversários e de uma táctica mais consistente para fazer com que Morant e companhia se tornem mais competitivos.

30



Estão em último lugar neste ranking porque têm sido vítimas de uma instabilidade aterradora em termos de GM's. Finalmente, com David Moura, experiente nestas andanças, as coisas prometem estabilizar. Mas está feito algum estrago que poderá demorar a ser cicatrizado.


148 views5 comments

Recent Posts

See All

5 opmerkingen


Análises na mouche ;) Em relação a nós, talvez estejamos um pouco acima, mas pela nossa prestação na Champcup é análise justa. Estamos confiantes de que podemos ter uma época positiva, numa Conf. já apontada por muitos como a que promete ser mais competitiva. Vamos ver como começamos a época.

Like

Excelente análise do nosso Comissioner e reporter.

Tendo em conta o que foi a pré, é a análise correcta, mas também é aparente que quando algumas das equipas mais abaixo no ranking afinarem as suas rotações o ranking vai sofrer muitas mudanças.

O nosso 5º lugar está dentro daquilo que provamos no torneio amigável, ou seja não temos o roster mais vistoso em termos de nomes, mas temos ferramentas bastante capazes de produzir bons resultados. Mas também não nos iludimos que manter este rank vai ser extremamente dificil tendo em conta a competição à volta.

Like

Expetativas e exigência já no topo!

Tal deve-se à nossa prestação na ChampCup, mas o desafio é enorme e estamos a postos para isso, uma luta dura durante a temporada e tudo faremos para nos mantermos no topo!  

Just in case, já tirei print screen porque mais para cima é impossível  😂

You shall not pass The Valley!

Like

Francisco
Francisco
29 mrt.

Parece-me uma avaliação justa tendo em conta o que foram os nossos amigáveis. Procuramos experimentar coisas a ver como sacar o melhor rendimento possível mas não foi obtido plenamente. Vamos focar-nos em obter alguma troca para maximizar o rendimento da equipa

Like

Eu tinha uma ideia que minha equipe seria fraca e não chegaria aos OFFs, mas com os testes e o desempenho da equipe isso pode mudar o Rumo aqui das coisas, embora ainda temos um ponto fraco na equipe. No topo estão as equipes que tem um Roster espetacular e Os melhores dos teste

Like
bottom of page